Garçonete servia senhor de idade há anos, mas em um dia de repente ele diz “Preciso te confessar uma coisa”

Eva, garçonete em um restaurante, servia com frequência a um senhor de idade, com quem inclusive tinha algumas conversas que abordavam assuntos do cotidiano e da vida deles. O homem aparentava ter um pouco mais de 80 anos de idade e ia com bastante frequência, em algumas vezes, ia até 3 vezes na semana ao restaurante onde Eva trabalhava e tinha o hábito de querer sempre ser atendido e conversar com ela.
Frank era o nome do senhor de idade e os dois tiveram um vínculo tão forte que se tornou parte da rotina a ida dele na lanchonete para conversarem. Porém, certo dia enquanto Eva limpava a mesa de Frank, ele a segurou pela mão e disse que tinha algo pra revelar a ela, muito surpresa ela resolveu sentar e ouvir o que ele tinha a dizer.

Frank começou a falar sobre sua vida, lá no início, quando era jovem, revelou a ela que era um garoto bastante caseiro e que gostava de ler livros, mas que certo dia alguns amigos o convenceram a ir em uma festa. Já na festa, Frank conta que se sentiu deslocado e enquanto seus amigos se divertiam, ele ficou num canto apenas observando. Quando se deu conta, ele percebeu que havia uma mulher ao seu lado, que o estava observando. Ele logo se encantou pela moça e segundo ele, era a mulher mais linda que havia visto. Já em seguida, Frank e a moça se aproximaram e iniciaram uma conversa e a partir desse momento iniciaram um romance.

Quando os dois resolveram morar juntos, Frank conta que a princípio estava tudo bem, até receber uma carta que o convocava para lutar pela seu país na guerra no Vietnã. Sem poder recusar ou fugir disso, Frank apenas aceitou e se despediu de seu amor, partindo assim para a guerra, onde presenciou coisas que marcaram sua mente com feridas profundas.
A guerra deixou a mente de Frank perturbada, o que mudou o homem que ele era, afinal, é isso que a guerra faz, ela muda um homem. Estando assim, em um estado ruim, meses depois, após retornar, Frank decidiu não ir atrás de sua amada.

Por muitos anos ele gastou tudo que tinha em bares pela cidade, tentando reprimir e apagar todo aquele remorso e todos os sentimentos esmagadores que estava sentindo. O que o levou a um estado deplorável, onde não tinha mais nada e acabou tendo que morar na rua.
Sentindo um vazio e uma tristeza imensa, certo dia ele se deitou em um banco na rua, até que uma mulher saiu de uma lanchonete e lhe deu algo para se cobrir, Frank sentiu que a conhecia de algum lugar.
Certo dia, Frank decidiu recomeçar a sua vida e ir atrás de um novo emprego. Após esse recomeço, ele passou a frequentar essa lanchonete e sempre via essa mulher familiar. O que mais chamava atenção de Frank eram os olhos da mulher, que o faziam recordar dos olhos de sua amada… Até que certo dia Frank resolveu perguntar se aquela mulher tinha alguma ligação com seu antigo amor. Foi então que ele se surpreendeu e não só ele, Eva também. Essa mulher gentil era sua filha, Eva era sua filha.
Em prantos, Eva e Frank se abraçaram, ele era o pai que ela achava ter perdido na guerra e ela era a filha que ele nunca sequer sonhou que teria.