Identificada mulher morta a facadas pelo namorado em Sombrio | TN Sul

0

Sombrio
Maíra Rabassa
policia@tnsul.com

Mais um caso de violência doméstica é registrado no sul catarinense. A tragédia desta vez foi no município de Sombrio onde uma mulher foi morta pelo companheiro. Segundo informações da Polícia Militar, por volta das 12h, os policiais foram acionados para atender uma ocorrência de discussão entre um casal e que a casa – localizada na rua Edmundo Josino Pereira, no bairro São Luiz – estaria pegando fogo. Vinte minutos depois, a equipe do Corpo de Bombeiros chegou ao local e combateu as chamas.

Flagrante

O agressor acabou preso em flagrante pela PM e conduzido até a Central de Plantão Policial (CPP) de Araranguá. Identificado como S.L.R. R., de 35 anos, o suspeito confessou que tinha atacado a namorada a facadas e ateado fogo na casa onde morava com a vítima e os dois filhos – um garoto de 16 anos e uma menina de 12 anos. O filho adolescente de Flávia Ratajenski, 41 anos, contou à PM que ao chegar no imóvel ouviu os gritos da mãe pedindo socorro e, ao entrar na residência, testemunhou o homem a esfaqueando. Na tentativa de impedir o crime, o jovem acabou levando socos do namorado da vítima.

Polícia trata o caso como feminicídio

A CPP de Araranguá ficou responsável em formalizar a prisão em flagrante do agressor e, depois, o inquérito policial volta à Delegacia de Sombrio. Conforme Luiz Otávio Pohlmann, delegado que vai apurar o caso, Flávia foi atingida na altura do pescoço por golpe de faca. A vítima chegou a ser levada por populares ao Hospital Dom Joaquim. “Ela ainda foi socorrida, mas duas horas depois acabou morrendo”, completa o delegado. O crime está sendo tratado como feminicídio.

RELAÇÃO

Flávia era natural de Torres (RS) e morava em Sombrio com os dois filhos. De acordo com postagens nas redes sociais, o casal teria assumido a relação em maio deste ano. Em 2023, já existem dois casos de feminicídio tramitando na Comarca de Sombrio. Atualmente, 43% dos casos de violência doméstica ocorrem tipicamente na casa da mulher. O dado é do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Em Santa Catarina – segundo o Anuário Brasileiro de Segurança Pública de 2023 – mais de 39,7 mil casos foram registrados pelo 190, um aumento de 10% nas ligações informando crimes de violência doméstica.

*Confira mais matérias de segurança na edição desta terça-feira, dia 26, do jornal impresso Tribuna de Notícias. Ligue para 48 3478-2900 e garanta sua assinatura.

Source link

Leave A Reply

Your email address will not be published.