Os 730 dias de Tencati no Criciúma | TN Sul

0

Tiago Monte

Criciúma

Em 7 de outubro de 2021, o técnico Cláudio Tencati chegou ao Criciúma com a missão de subir a equipe para a Série B do Brasileiro. Ele trouxe também o fiel escudeiro Aléssio Antunes. Atualmente, são 12 temporadas dos dois trabalhando juntos. O objetivo, naquele momento, foi atingido e, agora, eles estão prestes a fechar a segunda temporada completa à frente do Tricolor Carvoeiro. “Estamos aqui para estabelecer essa marca importante que recebemos. É uma parceria que foi construída desde a nossa chegada: em outubro de 2021. Naquele momento, com a proposição de um acesso e um objetivo a curto prazo. Depois, veio o trabalho de dois anos com muito conteúdo e conquistas e derivado de um trabalho árduo, dedicado e com responsabilidade. É a reconstrução da hegemonia do Criciúma e o respeito no futebol catarinense. O Criciúma volta a ser o que sempre foi: vencedor”, comenta Tencati.

Na memória, grandes feitos como a conquista do título catarinense deste ano. “São vários jogos que foram à flor da pele. Mas, as finais foram jogos importantes para nós. Aquele do Brusque, lá, com uma bola na pontinha do dedo do Gustavo, bate na trave e sai. Eu sabia que seria nosso. A gente faz uma mudança, coloca o Helder e ele faz o gol do título. É um momento emblemático para nós: titulo estadual que não era conquistado há 10 anos. Realmente é uma conquista maravilhosa”, pontua o treinador.

O jogo do acesso para a Série B, diante do Paysandu, fora de casa, também marca a lembrança de Tencati. “Muitos não acreditavam. Chegou um momento da partida, quando estávamos ganhando, que eles foram para cima, tentaram nos atacar e a gente segurando, segurando… Então, tivemos momentos pontuais, em jogos, espetaculares. Mas os dois momentos: título estadual e acesso para a Série B, para mim, estão marcados”, enfatiza. “O que marca mesmo é a conquista. Quando chegamos em um clube, o mais importante é conquistar títulos e os objetivos”, completa Aléssio Antunes.

Parceria importante com a torcida

Para Tencati, o segredo do sucesso está também na parceria com a torcida carvoeira. “Nossa torcida encanta a todos os outros clubes, localidades e pessoas que vêm aqui. Minha família e amigos já vieram aqui, em jogos, e ficaram encantados com o que o torcedor faz em dias de jogos do Criciúma. Realmente, é uma apresentação de gala. Tudo que o Criciúma é, também é em função do torcedor. Então fica o nosso agradecimento ao torcedor, que faz parte desse processo de trabalho”, ressalta.

Entre os momentos difíceis, estão períodos da temporada 2022. “Para mim, eu vejo que foi o momento pontual da temporada 2022. Uma virada de chave. Perdemos, em casa, para o Brusque e empatamos com o Caravaggio, pela Segunda do Estadual, e ali o burburinho aumentou. Foi por causa das emoções e dos egos. É normal. Gerou um impacto. Tinhamos, na sequência, Metropolitano, pelo Estadual, e Vila Nova, na Série B, em casa. Se não ganhássemos as partidas, tinha criado um clima e poderia ficar pesado para nós na sequência, mas ganhamos os dois jogos”, diz Tencati.

Humanização do clube como legado

Para o treinador, nesses dois anos, o legado deixado é a volta da humanização do clube. “Esse é um ponto que trouxemos. Nessa humanização, o ponto é tratar todos bem. A gente brinca que algumas pessoas passam por nós e ficam com medo de cumprimentar. Elas pensam que nós estamos acima do bem e do mal, mas somos pessoas iguais e buscamos nos posicionar desta forma. Além da performance de resultado, o legado vitorioso, a gente traz essa humanização, o respeito e a valorização de todos os profissionais. Nunca nos colocamos acima de ninguém. E nunca dissemos que somos a conquista. Não. Todo mundo ganha e agregamos valores ao clube”, destaca.

Tencati admite a possibilidade de ficar por mais um ano no Criciúma. “A gente acredita que vai dar certo nesse ano (a conquista da vaga para a Série A). Se não der, o trabalho tem que continuar. É com Tencati e Aléssio? Ótimo, gostaríamos de receber esse convite. Se não for, que o Criciúma continue pensando em subir. O Criciúma tem que continuar, todas as temporadas, entre os oito ou 10 primeiros. Uma hora vai conspirar para o acesso. Isso vai acontecer. Temos que pensar assim: tirar um pouco o imediatismo”, finaliza.

Source link

Leave A Reply

Your email address will not be published.