Reservatórios da Casan irão passar por vistoria geral até quinta-feira | TN Sul

0

Até o próximo dia 14, todos os reservatórios da Casan deverão passar por uma sequência de vistorias gerais. A Casan tem aproximadamente 1.030 reservatórios instalados pelo estado. Ao todo, 483 são de concreto, material do reservatório rompido na madrugada do dia 6, no bairro Monte Cristo, em Florianópolis. O segundo material mais utilizado é o de fibra de vidro, seguido pelo aço inoxidável, pelo polímero reforçado com fibra de vidro (PRFV) e pelo aço vitrificado.

O diretor-presidente da Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan), Edson Moritz, ressalta que os reservatórios da Casan são aliados importantes para garantir a segurança hídrica em Santa Catarina, sobretudo diante de emergências, períodos de estiagem e de alta temporada turística. Anualmente, eles passam por limpeza e higienização conforme norma interna, além de acompanhamento de sua condição física pelos setores operacionais.

Novas instalações

Só no primeiro semestre de 2023, a Companhia já instalou novos 90 reservatórios, e até o fim de 2024 serão instalados mais 141, totalizando 88 milhões de litros de água. As instalações acontecem em 118 dos 194 municípios atendidos pela Casan e correspondem a um aumento de 38,81% na capacidade de reservação do estado.

Os reservatórios que entrarão em operação nos próximos meses também trazem uma mudança tecnológica no material das estruturas. A Casan está fazendo uma transição das estruturas de concreto (8 unidades instaladas, adquiridas em contratos anteriores) para materiais mais duráveis e resistentes. Esses novos materiais seriam os já citados aço inoxidável (131 unidades novas a serem instaladas até ano que vem), aço vitrificado (62 unidades novas até ano que vem) e polímero reforçado com fibra de vidro (30 unidades novas até ano que vem).

Casan dá início a indenizações para moradores do Bairro Monte Cristo

A antecipação das indenizações aos moradores afetados pelo rompimento do reservatório prosseguem neste domingo, 10, no Bairro Monte Cristo. O processo começou no sábado, quarto dia após o rompimento, conforme determinação do governador Jorginho Mello.

Depois de consolidação das avaliações iniciais de perdas materiais com lideranças comunitárias e advogados dos moradores, equipes técnicas da Companhia trabalharam durante todo o dia para os primeiros repasses.

A primeira moradora indenizada foi Ivanilda de Castro, que recebeu o adiantamento de R$ 11.268,00 por danos materiais em sua residência. “Eu me sinto aliviada. Graças a Deus não fiquei desprotegida e vou conseguir comprar a máquina de lavar, geladeira, secadora, pia de cozinha, sofá que perdi”, afirmou.

A Companhia trabalha com o número de 220 famílias afetadas. Neste sábado estão sendo atendidas as primeiras 20, para avaliação conjunta de danos e aceite dos valores indenizados.

Os valores de antecipação estão estimados inicialmente entre R$ 1800 e R$ 40 mil. A maior parte das famílias atendidas no sábado vai receber, em média, R$ 20 mil. Essa é uma parcela inicial da indenização total, que continuará sendo avaliada.

“As avaliações são individualizadas e prosseguirão até que todos possam receber o recurso, que é uma antecipação, eu reforço. A indenizacao total será um processo posterior”, frisa o diretor-presidente da Companhia, Edson Moritz.

Source link

Leave A Reply

Your email address will not be published.